Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

21/06/2017 - 12:44 - Atualizado em 28/06/2017 - 09:28
Pesquisa da UFU aborda a preparação que antecede a cena no teatro
Estudo utilizou a biomecânica de Meyerhold e foi posto em prática com uma companhia teatral de Uberlândia
por Autor: 
Marcela Pissolato (Estagiária de Graduação)

Para um ator interpretar o vilão ou o mocinho da história, são necessários muitos ensaios e alguns outros procedimentos que os espectadores, muitas vezes, não sabem que acontecem. “As pessoas acreditam que o fazer teatro é você decorar um texto e interpretar. Mas por trás disso tudo há um grande trabalho [...] que abarca um universo de possibilidades”. Quem disse isso foi o ator Rodrigo Müller, que abordou o treinamento corporal dos atores em sua pesquisa de iniciação científica realizada durante sua graduação em Teatro pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

 

A trajetória dele sempre foi buscando um caminho que usasse como linguagem o estudo e as poeticidades do corpo relacionado à cena. Müller decidiu trabalhar com a biomecânica sob a ótica do teatrólogo Vsevolod Emilevich Meyerhold. “Ele foi o precursor desta técnica, que é um treinamento corporal do ator empregada à cena e à performance. Eu recorto três itens que são os princípios das ações físicas do performer, voltados mais à inicialização para preparar o ator para determinadas situações (drama, comédia, realismo, ficcionismo etc)”, esclarece. Segundo ele, o trabalho foi orientado por duas professoras, uma no começo que foi a Yaska Antunes e a Mara Leal, que ajudou mais na parte de finalização.

 

Os treinamentos corporais mesclavam jogos diferenciados, sempre sob a luz da biomecânica. (Foto: arquivo pessoal)

 

Ele escolheu a companhia teatral Acazô para desenvolver esse treinamento antes de começar a dramaturgia e a criação dos personagens de uma peça. Foi recortado um trabalho específico com o objetivo de preparar a voz e o corpo, por meio de exercícios físicos e jogos de trabalhos em grupo que dialogavam com o processo de criação das cenas do espetáculo. “A gente começou do zero. Só existia um corpo nu que era o texto”, conta Müller. Ele explica que o diretor do grupo também participava do treinamento, “já que ele integra a cena e cumpre os papéis de diretor e ator”. Com esse olhar mais de espectador, era possível perceber algumas situações que não estavam dando certo, onde os atores tinham mais dificuldade e se havia unicidade na cena.

 

Além disso, como os ensaios eram a céu aberto, a concentração dos atores ficava mais difícil. “Então o treinamento era focado nisso, para estar inteiramente na cena e em diálogo com o espaço”, explica. Depois de alguns meses, Müller começou a ver resultados. “O grupo começou a se integrar mais uns aos outros. A própria ação corporal da biomecânica proporciona isso, de trazer o personagem mais rápido para a cena e com mais propriedade e qualidade”.

 

O trabalho desenvolvido com o grupo teatral durou oito meses e resultou no espetáculo “Clarissa”. (Foto: arquivo pessoal)

 

O resultado final desse trabalho com o grupo foi o espetáculo teatral “Clarissa”, que teve sua estreia na UFU e passou por toda a cidade de Uberlândia. “Foi maravilhoso, rico, cheio de coisas boas e tinha um tema religioso com base no Candomblé e outras religiões, dentro da esfera teatral do espetáculo de rua voltado para o público infanto-juvenil”, relata o ator. Ele também conta que o feedback dos participantes foi satisfatório, porque eles diziam que o trabalho inicial refletia na apresentação do espetáculo. “Nas entrevistas que eu colhi com os participantes do trabalho, todos diziam que conseguiam entrar em cena com mais facilidade e um nível maior de concentração”, afirma.

 

Leia mais:
 

Série mostra iniciações científicas premiadas na UFU

Pesquisa premiada de iniciação científica permite melhor manejo de pastagens

 

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2018. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal