Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

11/05/2018 - 18:34 - Atualizado em 28/06/2018 - 13:12
Pesquisadores da UFU são coautores de obra internacional sobre Psicologia
Abordagem inovadora auxilia gestores na tomada de decisão fundamentada em conhecimento científico
por Autor: 
Fabiano Goulart

 

 

 

Publicado pela suíça Springer International Publishing – e lançado recentemente no Brasil, Estados Unidos e Inglaterra – o livro "Organizational Psychology and Evidence – Based Management - What Science Says About Practice" conta com cinco capítulos de três pesquisadores do Instituto de Psicologia (IP), da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), vinculados ao Programa de Pós-Graduação do IP/UFU, Sinésio Gomide Jr, Áurea de Fátima Oliveira e Eila Magali da Silva Veiga.

Fundamentado em princípios e métodos desenvolvidos pela Evidence-Based Medicine (EBM), o livro reúne elementos práticos sobre diversos tópicos da Psicologia Organizacional e do Trabalho para auxiliar gestores, de empresas e organizações públicas e privadas, a tomarem decisões fundamentadas em conhecimento científico. O livro estabelece diálogo entre pesquisadores e profissionais das áreas de Psicologia do Trabalho e Organizacional e da Gestão Empresarial em torno do conhecimento científico baseado em evidências, relativo a diversos tópicos tais como: Criatividade nas organizações, Otimismo e esperança, Engajamento no trabalho, Planejamento de vida e carreira, Empreendedorismo, Inovação nas organizações, Diversidade cultural e inclusão nas organizações, Redes sociais, Envelhecimento no contexto organizacional, Equilíbrio trabalho/vida, dentre outros.

 

Trabalho conjunto

As pesquisas que resultaram nos textos da obra foram desenvolvidas no âmbito do grupo Cultura Organizacional e Saúde, que integra a Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Psicologia (Anpepp).

Além dos três pesquisadores do IP/UFU, o livro conta com capítulos de autores da Universidade Federal de Bahia (UFBA), Universidade de Brasília (UnB), das unidades da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás, Brasília e de Juiz de Fora-MG, universidades Mackenzie, Metodista e Universo, do Instituto de Psicologia de Portugal, da Academia Militar Portuguesa, da Universidade da Flórida (EUA), dentre outras. O trabalho foi organizado pelos pesquisadores Cláudio Vaz Torres e Elaine Rabelo Neiva, ambos da Universidade de Brasília (UnB) e Helenides Mendonça, da Pontifícia Universidade Católica (PUC), de Goiás, que, juntos, coordenam o Grupo de Pesquisa Cultura Organizacional e Saúde.

 

A metodologia

De acordo com os professores Sinésio Gomide Júnior e Áurea de Fátima Oliveira, que falaram ao comunica.ufu.br em nome dos autores da universidade, a ideia do livro surgiu a partir de discussões dentro do grupo de pesquisa e pós-graduação da Anpepp, que procura atualizar sua produção acadêmica em relação à literatura internacional e às novas tendências na área de gestão organizacional. “O grupo se reúne a cada dois anos e gera um produto atualizado em relação às publicações internacionais, considerando o aspecto da psicologia positiva e, com isso, a preocupação de fundamentar todo o processo de gestão organizacional com base em evidências científicas, em contraposição à tendência, ainda existente, de se fazer pesquisas e de se arquivá-las, sem a preocupação com sua aplicabilidade no mundo no trabalho”, explica Áurea Oliveira.

 

Uma nova abordagem

A fundamentação em evidências, esclarece Oliveira, refere-se àquilo que foi testado academicamente e, de fato, funciona na prática “de forma que a atuação do profissional não seja de base intuitiva, tipo ensaio e erro, para ver se dá certo”, afirma a pesquisadora.

O segundo aspecto da tendência que gerou o livro - a psicologia positiva -, como explica Gomide, estuda como ou o quê promove o bom funcionamento do ser humano. “Historicamente a psicologia se preocupou com o mau funcionamento do ser humano. Assim, no trabalho, por exemplo, sempre se pesquisou sobre o que gera estresse no trabalhador? Como lidar com o estresse no trabalho? Ou seja: a atenção era voltada para o mau funcionamento do ser humano”, explica o pesquisador.

A pergunta nesta abordagem, afirmam os autores, passa a ser: o que é preciso para o ser humano funcionar bem? “As pessoas estão engajadas em organizações e estão engajadas no seu trabalho. O que, nesse contexto, ou nessa relação, promove o crescimento do trabalhador? E o que promove o bem-estar deste trabalhador? Esta é uma palavra-chave na nossa área, nessa perspectiva. O que é bem-estar no trabalho e o que gera bem-estar no trabalho? É isso que é o movimento da psicologia positiva e é sobre isso que trata o livro. Deixamos o de olhar o mau funcionamento para investigar o bom funcionamento nessa relação”, conclui Gomide.

Sinésio Gomide Jr.: “Historicamente a psicologia se preocupou com o mau funcionamento do ser humano

 

A prática

A questão central na aplicabilidade do conhecimento baseado em evidências, enfatizam os pesquisadores, vem das bases da psicologia positiva, que é a consistência do conhecimento teórico. “Este é um conhecimento construído ao longo de muitos anos e, portanto, está longe de qualquer modismo que possa parecer”, esclarece Oliveira. Para assimilar e aplicar este conhecimento, esta tecnologia, em primeiro lugar, orientam os autores, o gestor deve abrir, em temos de concepção, de mente, para o fato de que o conhecimento científico pode ser útil. Feito isso, ele deve diagnosticar os pontos críticos e os problemas a serem resolvidos e, então, traçar políticas e ações para desenvolver o potencial das pessoas e da organização. “Toda organização tem potencial e ele está contido nas pessoas. A organização tem que perceber isso e verificar onde ela pode investir", afirmam.  

Pensar e agir desta forma, enfatizam, é pensar na própria sobrevivência da organização. “Por mais que exista crise, com demissões, etc., as organizações são feitas por pessoas e essa é a grande questão. Quando pensamos dessa maneira, pensamos no bem-estar da relação organização e indivíduo. A organização precisa continuar existindo e as pessoas também precisam continuar existindo. O bem-estar dessa relação é um fator de sobrevivência, concluem Oliveira e Gomide.

 

Serviço

Disponível no idioma inglês, a obra pode ser encontrada no portal da Editora Springer e em sites especializados no tema ou ainda em portais internacionais como Book Depository e Amazon, dentre outros.

 

Livro: Organizational Psychology and Evidence-Based Management - What Science Says About Practice

Capa dura: 314 páginas

Editora: Springer

Idioma: Inglês

ISBN-10: 3319643037 | ISBN-13: 978-3319643038

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2018. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal