Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

16/03/2021 - 13:48 - Atualizado em 19/03/2021 - 16:16
Pesquisa da UFU descobre novo poxvírus presente em ouriços
Em parceria com a USP, os cientistas analisaram a causa da doença de um ouriço-cacheiro encaminhado ao Hospital Veterinário
Por: 
Julia Alvarenga

Registro do ouriço-cacheiro, espécie onde foi encontrado o novo poxvírus. Foto: Canva

Professores da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia (Famev/UFU) e da Universidade de São Paulo (USP) descobriram a presença de um novo poxvírus em um ouriço-cacheiro. Após o animal ter sido encaminhado para o Hospital Veterinário da UFU, em Uberlândia, os pesquisadores iniciaram a análise para descobrir o causador da doença.

A professora Aline Hora, da Famev/UFU, é uma das autoras do estudo e relata que a suspeita inicial era de que a doença seria uma infecção por poxvírus. “Assim que a suspeita foi confirmada, nos restava uma dúvida: é um vírus já descrito? Então, com a colaboração do professor Paulo Brandão, da USP, partimos para a realização de sequenciamento de nova geração, que nos permitiu sequenciar o genoma completo desse vírus e, a partir de análises de filogenia (estudo da relação evolutiva entre grupos de organismos), verificamos que se tratava de um vírus nunca antes documentado”, explica.

Os poxvírus são vírus da família Poxviridae e são capazes de infectar vertebrados e invertebrados. São causadores de doenças em diversos hospedeiros, sendo a varíola um dos exemplos mais conhecidos de doença. A nova descoberta foi denominada Brazilian porcupinepox virus, o poxvírus de ouriço brasileiro. O estudo será publicado na revista Emerging Infectious Disease na edição de abril, mas já está disponível para ACESSO.

Hora comenta que o ouriço-cacheiro está presente em todo o território brasileiro e as doenças virais podem ser uma ameaça às espécies: “Ainda não se sabe qual será o impacto dessa descoberta para a conservação dos ouriços, mas é fato que ouriços em outros estados brasileiros foram encontrados apresentando os mesmos sinais de doença e a minoria sobreviveu.”

Desenvolvida com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a pesquisa trouxe dados que podem auxiliar em novos estudos. “Há um interesse em estudar melhor se outras espécies de animais podem se infectar e adoecer desse vírus, se ele está presente em ouriços-cacheiros de vida-livre e qual o impacto da infecção para a população de ouriços”, afirma.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2021. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal