Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

06/04/2021 - 08:17 - Atualizado em 06/04/2021 - 19:45
Grupo da UFU convida voluntários para participar de pesquisa sobre temperamento e redes sociais
Para colaborar, é preciso preencher um questionário disponível no site do projeto
Por: 
Julia Alvarenga

A proposta da pesquisa é analisar as postagens dos usuários nas redes sociais. Foto: Freepik

 

A pesquisa SOCIAL TEMP é uma iniciativa da Faculdade de Computação (Facom) e da Faculdade de Medicina (Famed) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) com o objetivo de estudar as emoções expressas nas postagens dos usuários e seus comportamentos nas redes sociais, fazendo relações com os tipos de temperamento. 

Para desenvolver a pesquisa, o grupo convida voluntários para responderem um questionário e autorizar a coleta dos dados da sua rede social. Tudo será feito de forma anônima, sem a identificação dos participantes.

 

Você é aluno da UFU, maior de idade, já usa as redes sociais há pelo menos um ano e quer ajudar na pesquisa? Siga os passos:

 

1. Entre no site www.socialtemp.facom.ufu.br

2. Aceite os termos e informe seu e-mail para começar

3. Faça a coleta de suas publicações nas redes sociais (os passos da coleta são informados no site)

4. Responda o formulário sobre sua personalidade e sobre suporte social

5. Pronto! Sua participação na pesquisa é muito importante!

 

O professor Luiz Carlos de Oliveira, da Famed, é um dos coordenadores da pesquisa e explica que  temperamento é o padrão emocional característico de uma pessoa, ou seja, a forma que cada pessoa tem de responder emocionalmente ao que acontece na vida.

“Os temperamentos podem ser hipotímico, que a pessoa é um pouco mais entristecida, melancólica, hipertímico, que é uma pessoa mais agitada, alegre, extrovertida e o temperamento ciclotímico que varia nos dois (hipotímico e hipertímico). Temos também o distímico, que é uma pessoa mais irritada, e o temperamento ansioso”, esclarece Oliveira.

A proposta da pesquisa é entender a relação entre os temperamentos e as redes sociais. “Nós sabemos que a nossa percepção de tudo é influenciada pelo nosso estado emocional então, a pergunta é: se o estado emocional pode influenciar a forma como nós reagimos aos conteúdos que vemos nas mídias sociais, se isso influencia o tipo de assuntos que estou curtindo ou não”, fala o professor.

A professora Elaine Faria, da Facom, também é coordenadora do projeto e conta que a ideia é classificar cada postagem do usuário em uma das emoções básicas, como raiva, medo, alegria, com a ajuda de algoritmos. “Temos dois especialistas que rotulam uma amostra de postagens para nós e depois executamos um algoritmo capaz de aprender a rotular novas postagens usando essa amostra de dados. Basicamente, o algoritmo gera um modelo que será usado para rotular todas as postagens de um usuário”, explica.

A professora comenta que entender como os usuários manifestam suas emoções e temperamentos nas redes sociais e como elas os influenciam é importante para antecipar doenças e distúrbios psicológicos.

“Considerando o cenário atual, no qual a população mundial tem alavancado o uso de redes sociais durante o período de isolamento social devido à pandemia do Covid-19, o estudo do comportamento e temperamento do usuário na rede social torna-se ainda mais relevante”, afirma Faria.

Para saber mais informações, você pode acessar o Instagram do grupo: @SOCIALTEMPUFU

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2021. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal