Skip to:

FacebookInstagramLinkedinTikTokTwitter YoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

28/06/2017 - 09:27 - Atualizado em 04/07/2017 - 16:23
Manual de Educação elaborado por Afrânio Peixoto é tema de estudo premiado
Acadêmica de Enfermagem da UFU assina trabalho sobre obra do intelectual baiano, que atuou ativamente em várias áreas durante a primeira metade do século XX
Por: 
Hermom Dourado

Pesquisa de Bruna Duarte foi orientada pelo professor Décio Gatti Júnior, da Faced. (Foto: Hermom Dourado)

Atualmente cursando o sexto período do curso de Enfermagem, Bruna Aparecida Rodrigues Duarte faz parte do grupo de oito alunos que irão representar a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) na Jornada Nacional de Iniciação Científica, que acontece durante a 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), agendada de 16 a 22 de julho, em Belo Horizonte. No evento, Bruna irá apresentar o trabalho que foi premiado como a melhor pesquisa na área de Ciências Humanas no VI Encontro de Iniciação Científica e Tecnológica da UFU, realizado em outubro de 2016.

O referido trabalho foi intitulado “O Manual ‘Noções da História da Educação’ De (Júlio) Afrânio Peixoto: A Presença De Um Médico Na Escrita Da Historiografia  a Educação Brasileira Na Década De 1930” e teve orientação do professor Décio Gatti Júnior, da Faculdade de Educação (Faced). Ele explica o motivo de uma disciplina como “História da Educação” ser ministrada para acadêmicos de Enfermagem: “Na UFU, este curso é atualmente oferecido com opções de bacharelado e licenciatura e esta é uma disciplina muito importante para a formação de professores, pois apresenta o que é e o que foi a educação ao longo do tempo, tanto no Brasil quanto no exterior, abordando, inclusive, a circularidade que há entre o que se faz por lá e aqui e vice-versa.”

O contato com esta disciplina ocorre logo no início do curso. Nada, porém, que tenha assustado Bruna Duarte. Muito pelo contrário. “Eu vim transferida de outra universidade, onde não havia a possibilidade deste envolvimento com pesquisa, que sempre foi algo que me chamou muito a atenção. Gosto de entender como as coisas se deram. Por que a Educação é assim hoje? O que aconteceu? Quais foram os personagens que influenciaram isso? Já cheguei aqui com o interesse de ir em busca das respostas para perguntas como estas. Daí, logo no primeiro semestre, comecei a ter as aulas do professor Décio e pude partir para o trabalho sobre a obra de Peixoto”, conta.

Um dos grandes desafios, conforme a acadêmica, foi o contato com uma linguagem muito diferente da que se pratica atualmente. O orientador aponta algumas destas particularidades: “Apesar de o idioma ser o mesmo, a narrativa e o uso das palavras deste manual, que foi publicado em 1933, são totalmente diferentes do que temos nos mais recentes. Até a forma como o sumário é estruturado chama a atenção. Eram poucas ilustrações e com uma forma de impressão muito rudimentar – feitas à bico de pena e encaixadas no texto com linotipo. Além do conteúdo propriamente dito, esta questão da materialidade do objeto também foi examinada na pesquisa. Outro detalhe interessante é a preocupação que se tinha com as cronologias, pois todos os capítulos têm um sincronismo e apresentam as principais datas.”

 

Personagem

A escolha pela bibliografia do baiano Júlio Afrânio Peixoto (1876-1947) como objeto de estudo deveu-se em muito ao perfil do autor. Além de escritor – também de ensaios e romances –, ele foi médico, político, professor, crítico literário e historiador. Em 1910, menos de um ano após a morte de Euclides da Cunha, foi eleito para substituí-lo na cadeira 7 da Academia Brasileira de Letras (ABL).

O manual tomado como base para a pesquisa de Bruna Duarte é, em muito, fruto das observações e reflexões de Afrânio Peixoto devido à sua experiência como docente da disciplina de História da Educação no Instituto de Educação do Rio de Janeiro. Trata-se de uma obra que foi integrada à Biblioteca Pedagógica Brasileira e teve uma grande repercussão na época, influenciando na formação de professores em todo o País e assumindo importância fundamental para os rumos tomados por esta área. “Ele é um trabalho mais do campo republicano, ligado à disseminação de uma moral laica. Logo em seguida, foram lançados manuais do campo católico, que, de certa forma, combatem as ideias de manuais como o de Peixoto”, informa Décio Gatti.

Bruna relata que gostou tanto de pesquisar sobre este autor, que decidiu dar continuidade a isto e atualmente tem se dedicado a um novo trabalho sobre outra obra do intelectual baiano, “Eunice ou A Educação da Mulher”, lançada em 1944. “É algo mais focado e interessante porque nos permite ver como se dava a educação para um público-alvo”, aponta a aluna. Já o orientador sublinha que Afrânio Peixoto tinha uma visão sobre o papel da mulher na sociedade bem distinto da concepção católica marcante à época e que o autor também era muito preocupado com a aprendizagem de normas de saúde e de higiene na escola.

Finalizando, a estudante destaca que o aprendizado que está adquirindo com as pesquisas bibliográficas e documentais para os seus trabalhos de iniciação científica será de grande valia na sua prática profissional independente do caminho que ela opte por trilhar. “Sou bem inclinada a buscar carreira na docência, mas mesmo que opte por ser apenas bacharel não terá como fugir da missão de ser um educador constante. Isso vai acontecer na unidade de saúde de estratégia de família, em hospital, empresa e seja onde for que ele venha a atuar. Por isso que considero de tamanha valia este tipo de bagagem para que se saiba o tipo de abordagem que devemos adotar com os nossos pacientes, os familiares deles ou os nossos futuros alunos.”

 

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2023. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal