Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

26/02/2021 - 14:24 - Atualizado em 02/03/2021 - 16:54
Doutorando da UFU investiga, na Espanha, bactéria em carne de frango
Bolsa de estudos permite intercâmbio que contribui para o controle da campilobacteriose
Por: 
Marco Cavalcanti

Campylobacter pode causar forte diarreia e doença autoimune. (Foto: arquivo do pesquisador)

Quem quer fazer intercâmbio no exterior não pode deixar de conferir os editais anuais da Fundación Carolina, da Espanha. A dica é do biólogo, mestre em Ciências Veterinárias e doutorando do Programa de Genética e Bioquímica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Phelipe Augusto Peres.

Beneficiado com uma bolsa que cobre despesas, seguro de saúde e passagens aéreas de ida e volta, ele pesquisa, na Universidade Autônoma de Barcelona, a bactéria do gênero Campylobacter. O microrganismo é responsável pela zoonose Campilobacteriose.

A Campylobacter é encontrada em carcaças de frango e é uma ameaça para a saúde pública e para a economia de diversos países, mas principalmente do Brasil ― o maior exportador do produto.

A bactéria, encontrada em todo o mundo, é capaz de causar diarreia forte em humanos ― muitas vezes com sangue ―, e pode levar ao desenvolvimento de doenças autoimunes, causando paralisias e até a morte, conta o pesquisador.

“Estudar Campylo no país ainda é caro e trabalhoso sem o investimento necessário, mas é muito importante para garantir a carne de frango saudável no prato dos brasileiros, já que é um alimento tão consumido em todo o país”, argumenta Peres. Segundo o doutorando, o investimento no controle da bactéria trouxe benefícios para a saúde e economia dos países europeus.

Desde que começou o intercâmbio como pesquisador visitante, em outubro do ano passado, Peres trabalha na identificação da bactéria em amostras de animais, incluindo de frangos, recebidas de vários pontos geográficos do planeta, como ilhas da Espanha e até da Antártica.

A pesquisa, desenvolvida no Institute of Agrifood Research and Technology (IRTA) / Centre de Recerca en Sanitat Animal (CReSA) sob orientação da doutora em Microbiologia Marta Cerdà Cuéllar, só é possível com a parceria de várias universidades que trabalham juntas para garanti-la.

“Conseguimos, então, observar a distribuição da bactéria pelo planeta e como são diferentes pelas regiões. Testamos as amostras para muitos antibióticos e também para produtos que possam controlar a bactéria no campo e ajudar os governos a colocar medidas de controle em todo o país”, relata o pesquisador.

O prazo da visita de Peres à Espanha termina em maio deste ano. O doutorando conta que, quando voltar ao Brasil, vai trabalhar em colaboração com outros professores que já pesquisam a bactéria no país, passando adiante todo o  conhecimento e dados que obtiver no intercâmbio.

 

>>> Leia também: 

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2022. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal