Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

21/11/2022 - 08:51 - Atualizado em 22/11/2022 - 15:01
Estudo analisa a produção de texto de surdos sinalizantes
Segundo Ileel, a tese de doutorado é a primeira na UFU e a segunda no Brasil defendida por um pesquisador surdocego
Por: 
Laura Justino

 

Durante a defesa, o pesquisador, que tem surdez profunda e baixa visão, comunicou-se por meio da Libras no campo visual reduzido, um processo em que o intérprete fica mais próximo à pessoa surdocega. (Foto: Arquivo do pesquisador)

 

Diante dos desafios enfrentados pelos surdos em suas interações acadêmicas e sociais em relação ao uso de português escrito, a tese de doutorado produzida pelo professor José Carlos de Oliveira, do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia (Ileel/UFU), analisou a produção de texto de surdos sinalizantes (que se comunicam por meio da Língua Brasileira de Sinais - Libras).

A análise buscou investigar quais são as características que marcam a “produção inicial” e a “produção final”, duas categorias organizadas pelo pesquisador. Os textos analisados são dos gêneros “relato de experiência vivida'' e "resumo".

Oliveira ofertou um curso de extensão chamado “Modelo didático sequencial de ensino de português escrito para surdos por meio de gêneros textuais” e selecionou, para analisar em seu estudo, as produções textuais de quatro dos 13 participantes surdos sinalizantes da Libras de diferentes faixas etárias e nível acadêmico.

“O trabalho desenvolvido na pesquisa contribui para o desenvolvimento das capacidades de linguagem necessárias à produção dos gêneros e indica, ainda, a necessidade da produção de textos em Libras, nos diferentes gêneros textuais, quer sejam aqueles do cotidiano, quer sejam os escolares, principalmente da esfera acadêmica, para subsidiar o ensino de gêneros textuais em português escrito”, argumenta Oliveira.

A pesquisa, orientada pela professora Maria Inês Vasconcelos Felice (Ileel/UFU), ressalta a importância da utilização da língua de sinais e defende a necessidade dos professores de conhecerem e compreenderem a cultura e a identidade dos aprendizes surdos para uma interação de aprendizagem e convivência mais adequada em sala de aula.

A defesa aconteceu em agosto de 2022 e contou com o apoio de cinco profissionais tradutores intérpretes de Libras/Português e um guia-intérprete surdo. “Como tinha um membro da banca que é surda, os intérpretes se revezavam para atender a dois e também dar visibilidade da Libras a outros surdos presentes na sala. E o guia-intérprete surdo atuou como apoio a comunicação”, relata Oliveira.

Durante a defesa, o pesquisador, que tem surdez profunda e baixa visão, comunicou-se por meio da Libras no campo visual reduzido (assim como conversa com as pessoas no dia a dia), um processo tradutor semelhante ao que os surdos usam, mas em que o intérprete fica mais próximo à pessoa surdocega.

O Ileel/UFU registrou a tese de doutorado como a primeira da UFU e a segunda do Brasil a ser concluída por um doutorando surdocego. “A primeira defesa pela UFU significa a superação de barreiras por parte do surdocego e a experiência da instituição de modo geral, uma abertura para novas possibilidades para que mais surdos e surdocegos consigam ingressar no ensino superior, sejam em nível de graduação ou de pós-graduação”, afirma Oliveira.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2022. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal