Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

12/11/2018 - 17:33 - Atualizado em 22/11/2018 - 18:29
Escolas de Uberlândia expõem trabalhos científicos na UFU
Alunos das redes pública e particular participam da Feira Ciência Viva
por Autor: 
Diélen Borges

 

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) recebe, nesta segunda (12) e terça-feira (13), a Feira Ciência Viva. Estudantes da educação básica de escolas públicas e particulares apresentam projetos desenvolvidos nas suas instituições, com o objetivo de popularizar a ciência. O tema desta edição é “Ciência para redução das desigualdades”, abordado na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

Os alunos Davi Santiago (6º ano), Filipe Santana (6º ano) e Kristen Pavarine (9º ano), da Escola de Educação Básica (Eseba/UFU), propõem um chuveiro mais econômico, que para de funcionar quando os braços são erguidos e que liga novamente quando os braços são abaixados ou o sabonete é colocado na saboneteira. O trabalho Análise da vazão de água em diferentes residência e instituições: impacto no consumo é orientado pela professora Maísa Silva, no Grupo de Estudo e Pesquisa em Inovações Tecnológicas (Gepit/Eseba).

 

Projeto da Eseba sugere chuveiro com sensor que é mais econômico (Foto: Milton Santos)

 

A Escola Estadual Clarimundo Carneiro apresenta o projeto Oficinas de pinturas corporais como instrumento contra o preconceito racial. Segundo a professora de História Juliana Quintão, esse é um trabalho de resistência que busca ganhar a simpatia da comunidade em geral para conscientizá-la sobre o valor artístico da cultura africana. As oficinas são desenvolvidas com turmas do 6º ao 9º ano.

 

Oficinas de pinturas corporais como instrumento contra o preconceito racial é um dos projetos da E. E. Clarimundo Carneiro (Foto: Diélen Borges)

 

Um aplicativo para auxiliar adolescentes com problemas psicoemocionais é o trabalho apresentado por Ana Clara Martins, Flávia Félix e Gabriel Santos, do 9º ano da Escola Estadual Guiomar de Freitas. No SOS Emocional é possível desabafar com um robô, ler textos sobre problemas como anorexia e síndrome do pânico, receber indicações de música e até marcar uma consulta com clínicas de psicologia parceiras do projeto.

 

E. E. Guiomar de Freitas desenvolveu aplicativo SOS Emocional (Foto: Milton Santos)

 

Esses e outros trabalhos estão entre os selecionados para a Feira Ciência Viva, a partir de 141 que foram inscritos (veja a lista completa). Nesta segunda-feira (12) foram expostos os projetos das redes federal, estadual e particular. As escolas municipais não compareceram e, até o fechamento desta matéria, a Prefeitura Municipal de Uberlândia não havia informado à UFU o motivo.

A feira continua nesta terça-feira (13), das 9h às 12h, no saguão do Bloco 5R do Campus Santa Mônica. A entrada é gratuita. Coordenada pelo professor Adevailton Bernardo dos Santos, a Feira Ciência Viva é promovida pelo Museu Diversão com Ciência e Arte (Dica), do Instituto de Física (Infis/UFU), e é uma realização da UFU, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM) e da Prefeitura Municipal de Uberlândia (PMU).

 
Veja mais fotos desta segunda-feira.
 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2019. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal