Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

01/07/2022 - 12:05 - Atualizado em 04/07/2022 - 15:24
Lançado livro da série E-Classe, coordenada por professor do Instituto de Letras e Linguística, Guilherme Fromm
Acessibilidade Textual e Terminológica foi organizado por grupo de pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Por: 
Eliane Moreira

“Lipossolúveis”, “organoclorados”, “recidiva”, palavras em "juridiquês", termos que podem ser complicadores em uma leitura para grande parte da população. Dados de 2018, do Instituto Paulo Montenegro, uma organização sem fins lucrativos,  indicam que apenas 12, entre cada 100 pessoas do Brasil, têm o que se chama de “letramento” proficiente ou plena competência de leitura.

Mas o que fazer para simplificar a "escrita" e entregar a estes públicos textos, muitas vezes restritos a especialistas? Algumas alternativas são sugeridas no e-book Acessibilidade Textual e Terminológica, e envolvem, como por exemplo, o uso de sentenças simples, palavras curtas e familiares ao leitor. Fazer isso, pode não ser tarefa fácil, principalmente para quem lida com  termos científicos, constantemente.

Publicado pela Editora da Universidade Federal de Uberlândia (Edufu), o e-book Acessibilidade Textual e Terminológica foi organizado pela professora Maria José Finatto e pela doutoranda Liana Braga Paraguassu, ambas do grupo de pesquisa Acessibilidade Textual e Terminológica, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A publicação, em formato de e-book, aborda o enfrentamento aos problemas de leitura especializada no Brasil, e faz parte da série e-classe organizada pelo professor Guilherme Fromm, do Instituto de Letras e Linguística (Ileel), da Universidade Federal de Uberlândia, (UFU).

O livro  ilustra, ainda, que "alguns materiais escritos, por várias razões, podem equivaler a 'ambientes físicos' totalmente inacessíveis para um grande número de pessoas, portadoras de necessidades especiais ou não" e  convida o leitor a "imaginar 'ambientes' construídos por textos escritos, como se fossem prédios públicos". Instigante, não é?  A publicação reúne oito capítulos, em 247 páginas, e apresenta algumas sugestões para essas inquietações.

De acordo com Guilherme Fromm, a subsérie trata de temas atuais para a sala de aula. Nesta edição, em especial, apresenta um panorama teórico sobre o assunto e retrata pesquisas relacionadas a área que começa a tomar corpo no Brasil. A publicação indica, ainda, leituras de fácil acesso para aprofundamento no tema proposto e sugere atividades didáticas para que os professores, um dos públicos-alvo pretendidos com a série e-Classe, possam refletir e trabalhar com seus alunos.

"Acessibilidade Textual e Terminológica" é gratuito e está disponível no repositório da Edufu.

Professor Guilherme Fromm, em entrevista à Diretoria de Comunicação, fala um pouco sobre a publicação e a série E-Classe.

Foto: Arquivo Pessoal

O que trata o livro?

O livro é uma subsérie da série e-Classe, que trata de temas atuais para a sala de aula. O foco do livro é a acessibilidade textual.

A que público é destinado?

Professores e profissionais de todas as áreas que queiram aprender um pouco sobre como escrever de um modo mais simplificado, para atingir públicos de diferentes níveis de letramento.

Reúne quantos autores de que instituições?

São dez autores, com base no programa de pós-graduação em Letras da UFGRS.

O que vem a ser acessibilidade textual e terminológica?

Já estamos acostumados, no século XXI, com a ideia de acessibilidade para cadeirantes, deficientes visuais e auditivos, etc. Mas esquecemos que o acesso aos textos ditos como “complicados” (textos técnicos das mais diversas áreas, com muita terminologia específica delas) também deveria ser levado em consideração para a população com baixo letramento, com uma educação formal incompleta ou deficiente, incluindo até imigrantes, aquela que não consegue ler uma bula de remédio, uma sentença judicial, uma descrição técnica em um museu, um texto médico sobre uma nova doença. Refletir sobre o assunto e se preocupar com o acesso a um mundo de informações que essas pessoas poderiam ter através da escrita de textos mais simples é o cerne do livro.

O que é a série E-Classe?

Desde o século passado ouvimos, ininterruptamente, que a situação da educação no Brasil é um problema sério. Discutir sobre o assunto envolve as condições das escolas, os salários dos professores, as atitudes dos pais de alunos, a carência de material nas escolas, questões de inclusão etc. Para tentar solucionar parte desses problemas, apresentamos a série e-Classe, cujo objetivo é propor discussões, metodologias, práticas e teorias que possam ser usadas nas mais diversas situações em sala de aula, nos mais diversos tipos de cursos. O planejamento da série, como um todo, pressupõe uma divisão em sub-séries, cada uma abordando um tema específico para a educação no Brasil: desde as questões mais básicas do Ensino Fundamental e do Ensino Médio até os desdobramentos no Ensino de Jovens e Adultos (EJA), na sala de aula da Terceira Idade, nas propostas de melhor acessibilidade aos alunos com necessidades especiais, nos desafios de implantação da Educação a Distância (EaD), nos problemas de Acessibilidade Textual e Terminológica dos leitores brasileiros e outras questões que por ventura venham a se tornar importantes, necessitando de uma discussão mais aprofundada. Como característica básica da série, acentuamos nosso compromisso de distribuir todos os livros gratuitamente, via Edufu, bastando, para isso, apenas fazer o download da versão eletrônica das obras no site da editora.

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2022. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal