Pular para o conteúdo principal
Leia Cientistas

Projeto de extensão da UFU participará de implementação da Política Nacional de Vigilância em Saúde

‘Boletins Epidemiológicos de Uberlândia’ retomará atividades e fará parte de programa nacional

Publicado em 01/02/2024 às 16:01 - Atualizado em 02/02/2024 às 22:21

Além do boletim, estão previstos a realização de oficinas com a comunidade (foto: Marco Cavalcanti)

O Projeto de extensão Boletins Epidemiológicos de Uberlândia (Beudi) teve os seus primeiros boletins epidemiológicos publicados em 2019 e, desde a sua concepção, busca tratar da epidemiologia de doenças, em especial as doenças e agravos à saúde que acometem as populações vulnerabilizadas, as chamadas Doenças Tropicais Negligenciadas. As informações dos boletins buscam trazer à luz doenças menos incidentes na população, esclarecendo dúvidas e fornecendo orientações para os leitores sobre a prevenção e o controle. 

Durante a pandemia de covid-19 o projeto ganhou mais visibilidade por ter disponibilizado, de forma sistemática, informações confiáveis e qualificadas em um momento em que circulavam muitas informações falsas em redes sociais. Veja o relato da experiência do Beudi publicado em uma revista cientifica da área https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1658

Todas as ações de divulgação de informações epidemiológicas foram centradas nas redes sociais do projeto (site do Projeto Beudi e no Instagram). 

No ano de 2024, o projeto retoma as suas atividades e agora irá compor o Programa de Extensão para a Implementação da Política Nacional de Vigilância em Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) e a Participação da Comunidade - PNVS Comunidade (ver em UnB Decanato de Extensão - Sobre o Programa) que visa à inovação, em âmbito nacional, de projetos de extensão voltados para o fortalecimento e a implementação das ações de vigilância e promoção em saúde, previstas na Política Nacional de Vigilância em Saúde (PNVS). 

O projeto é uma ação em parceria com o Ministério da Saúde, o Decanato de Extensão da Universidade de Brasília (Dex/UnB), o Fórum de Pró-reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras (Forproex) e a Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), fazendo parte do fortalecimento da Rede Nacional de Extensão (Renex), uma iniciativa do Forproex. Nessa segunda fase, o PNVS Comunidade conta com a participação de 31 instituições públicas de Ensino Superior de 19 estados brasileiros, atuando diretamente com a comunidade em prol da saúde no Brasil.

 

Arte foder

 

Nessa edição apoiada pelo PNVS Comunidade, o Beudi vai aproximar a produção de informações epidemiológicas à comunidade e fomentar a estratégia de vigilância participativa que será realizada em um assentamento urbano no município de Uberlândia. Considerando que nestes territórios vulnerabilizados ainda persistem focos de moléstias infecciosas e parasitárias que são favorecidas principalmente por condições de vulnerabilidade social, como a pobreza, falta de saneamento, condições precárias de moradia, desnutrição e a desigualdade social, este projeto se alinha também aos principais Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Estão previstos para além da produção de boletins epidemiológicos a realização de oficinas com a comunidade do assentamento, buscando engajar as lideranças locais a participarem como multiplicadores e vigilantes quanto aos principais problemas do seu território e das formas de prevenção e controle. Este projeto também será importante diante do cenário da curricularização da extensão, incluindo a PNVS Comunidade no escopo das atividades extensionistas da Universidade Federal de Uberlândia e fomentando a interação dialógica com territórios vulnerabilizados.  

A possibilidade de implementação de ações locais, efetivas e resolutivas no território poderá ser replicada, possibilitando uma melhor articulação da universidade-gestão-serviço de saúde e comunidade. A adoção dessas ações e estratégias de Comunicação em Vigilância em Saúde oportunizará o uso e a melhoria das informações em saúde e o aprimoramento das tecnologias de monitoramento e Vigilância em Saúde no contexto de doenças e agravos tropicais negligenciados. 

 

*Stefan Vilges de Oliveira é docente do Departamento de Saúde Coletiva da UFU e coordenador do Beudi. E-mail: stefan@ufu.br 

 

A seção "Leia Cientistas" reúne textos de divulgação científica escritos por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). São produzidos por professores, técnicos e/ou estudantes de diferentes áreas do conhecimento. A publicação é feita pela Divisão de Divulgação Científica da Diretoria de Comunicação Social (Dirco/UFU), mas os textos são de responsabilidade do(s) autor(es) e não representam, necessariamente, a opinião da UFU e/ou da Dirco. Quer enviar seu texto? Acesse: www.comunica.ufu.br/divulgacao. Se você já enviou o seu texto, aguarde que ele deve ser publicado nos próximos dias.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Palavras-chave: boletim Epidemiologia saúde

A11y

Copyright© Universidade Federal Uberlândia.
Desenvolvido por Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação com o CMS de código aberto Drupal.