Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

21/02/2022 - 10:01 - Atualizado em 03/03/2022 - 11:59
Cientistas vão avaliar se exercícios e alergias interferem na resposta à vacinação contra covid-19
UFU, Fiocruz e Ufac aguardam recursos financeiros para recrutar voluntários em Uberlândia
Por: 
Diélen Borges

 

Testes serão feitos no Laboratório de Alergia e Imunologia Clínica (Lalic/UFU). (Foto: Alexandre Santos)

 

Pessoas sedentárias e praticantes de atividades físicas respondem da mesma forma à vacina contra covid-19? Entre as alérgicas e não alérgicas, há diferença na produção de anticorpos após a vacinação? Em busca de respostas para essas perguntas, cientistas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), da Universidade Federal do Acre (Ufac) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmaram uma parceria e vão avaliar mais de 500 voluntários em Uberlândia.

“Existem indícios, já observados em pesquisas sobre influenza, de que os exercícios físicos podem melhorar a resposta à vacinação”, afirma o imunologista Rafael Resende, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Imunologia e Parasitologia Aplicadas (Ppipa/UFU) e à Fiocruz. Na UFU, os outros pesquisadores envolvidos no estudo são o professor Ernesto Akio Taketomi e os doutorandos Laura Ribeiro, Hellen Borges e Alessandro Sousa Correa, todos do Ppipa. Outra hipótese dos cientistas é de que os indivíduos que têm algum tipo de alergia também reagem à vacinação com a produção de mais anticorpos, quando comparados com quem não tem alergia.

O estudo já foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisas com Seres Humanos (CEP/UFU). A próxima fase será a divulgação do formulário para que os interessados em ser voluntários possam se inscrever. Serão recrutadas 524 pessoas, de 18 a 60 anos. Além das informações fornecidas no questionário, os voluntários passarão por testes de força (handgrip e dinamômetro) no Laboratório de Alergia e Imunologia Clínica (Lalic/UFU).

Serão coletadas amostras de sangue desses voluntários, que passarão por análise na Fiocruz Minas, em Belo Horizonte. Os dados registrados sobre a prática de atividades físicas serão processados pelos pesquisadores da Ufac. Cada participante poderá solicitar os seus resultados individuais por e-mail

O recrutamento de voluntários ainda não começou porque faltam os materiais para fazer os testes. “Nós vamos precisar de recursos financeiros. Acreditamos que a frente privada de Uberlândia e região pode nos ajudar nesse sentido. Houve uma limitação de recursos financeiros para pesquisa ao longo dos últimos anos, principalmente no contexto público”, diz Resende. Os interessados em apoiar financeiramente o projeto podem entrar em contato pelo e-mail lalic@icbim.ufu.br.

O levantamento será importante para fornecer dados para a pesquisa científica na área de covid-19 e aprimorar as próximas vacinações. “É um estudo regional. A pandemia trouxe devastação financeira para empresas da cidade, porém, apesar de elas terem sofrido com o fechamento do comércio, esse retorno ocorreu por meio da vacinação, que possibilitou a reabertura”, completa o imunologista.

 

Da esquerda para a direita: Laura Ribeiro, Ernesto Akio Taketomi, Rafael Resende, Alessandro Sousa Correa e Hellen Borges. (Foto: Alexandre Santos)

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2022. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal