Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

09/05/2022 - 11:46 - Atualizado em 10/05/2022 - 10:59
UFU é segunda colocada entre as universidades brasileiras no combate à fome e nas ações climáticas
O THE Impact Rankings de 2022 avaliou instituições de todo o mundo em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU
Por: 
Milena Félix

No final do mês de abril, foi divulgado o resultado de um dos mais importantes rankings internacionais de instituições de ensino superior, o Times Higher Education (THE) Impact Rankings. O ranking avalia as universidades cadastradas em relação ao comprometimento com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015. Dentro dessa classificação, o Brasil é o país que mais possui representatividade, e a Universidade Federal de Uberlândia obteve resultados significativos em âmbito nacional e internacional.

Dentre as 1.406 instituições de ensino superior classificadas, a UFU ficou entre as 401-600 melhores universidades. Cabe lembrar que, a partir da centésima classificação, não é mais especificada a posição exata da instituição, apenas a faixa numérica em que ela está posicionada. Vale considerar ainda o desempenho da UFU em nível nacional, no qual, dentre as 35 instituições brasileiras participantes, a universidade se destaca em diversos ODS.

A integrante da Comissão para Acompanhamento de Lançamento de Dados Institucionais da UFU em Rankings Universitários (Caldiru), Maíra Córdula considera o posicionamento da UFU satisfatório, especialmente considerando o contexto em que os dados foram coletados. “Os rankings apresentam algumas condições para que as universidades sejam ranqueadas. Então, ser ranqueado já quer dizer que a gente está entre os melhores. Nós achamos os resultados bem positivos, porque esses dados são referentes à época da pandemia. Nós conseguimos aumentar a pontuação, apesar de ter caído no ranking geral. Mas essa queda se deve à participação de mais universidades, nesse ranking que é relativamente novo”, explica Córdula.

Em relação à metodologia do The Impact Ranking, são levadas em conta as áreas de Pesquisa, Ensino, Extensão (tripé universitário) e Governança. “Esse ranking de impacto mede o desempenho das universidades em relação ao cumprimento dos ODS, não olha só pra números; eles têm números, claro, mas eles olham para uma série de questões qualitativas também”, explica  Luís Paulo Pires, biólogo da Diretoria de Sustentabilidade da UFU (Dirsu) e integrante da Caldiru.

 

Combate à fome

Aluno servindo refeição em restaurante universitário da UFU. (Foto: Milton Santos)

Assim como na última edição do ranking, a UFU mantém, em nível nacional, a sua colocação no 2º lugar no ODS 2, de combate à fome, tendo conseguido aumentar a sua pontuação de 66.8 para 75.9. No âmbito internacional, a UFU foi a 42ª colocada em relação ao Combate à Fome, ou seja, está entre as 50 melhores do mundo no ODS 2.

O resultado é reflexo das diversas políticas e ações realizadas, como adoção de preços acessíveis nas refeições do restaurante universitário (RU), o acompanhamento de uma equipe de nutricionistas para elaboração dos cardápios, além do incentivo às feiras de pequenos produtores locais. Iniciativas como estas reforçam o compromisso da universidade para minimizar a insegurança alimentar e combater a fome da comunidade UFU.

 

Ação Climática

Usina de energia solar no Campus Santa Mônica da UFU. (Foto: Milton Santos)

Além disso, no que se refere ao ODS 13, ação climática, a UFU se destaca pelas ações de sustentabilidade nos campi, como a troca das lâmpadas pelo Programa de Eficiência Energética da Cemig, a instalação de paineis solares, além do monitoramento do clima em Uberlândia pelo Laboratório de Climatologia e Recursos Hídricos (LCRH).

Pires destaca a importância da boa classificação da UFU no ODS 13, que, para ele, foi uma surpresa. “Esse resultado está muito vinculado ao projeto de eficiência energética, que nós estamos conduzindo aqui na universidade desde 2018. A cada ano a gente tem uma etapa diferente acontecendo, e para os dados do ano passado, a gente contou muito con a instalação da usina fotovoltaica”, esclarece Pires.

Também são destaques da UFU a classificação no ODS 12, Consumo Responsável, no ODS 17, Parcerias e Instituições Fortes, que obtiveram, ambas, a classificação de 3º lugar entre as instituições brasileiras. Também cabe destacar que a UFU obteve o 5º lugar nos ODS 6, Água Limpa e Saneamento, e ODS 11, Cidades Sustentáveis. Todas essas colocações revelam o comprometimento da universidade com a sustentabilidade e com o desenvolvimento humano.

 

A UFU em relação ao desenvolvimento sustentável

Rua arborizada do Campus Santa Mônica da UFU. (Foto: Milton Santos)

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável foram estabelecidos pela ONU em 2015, como metas para os países colocarem em prática na década de 2020 a 2030. O objetivo principal é alcançar a Agenda 2030, que projeta um mundo em que os direitos humanos sejam totalmente respeitados e o meio ambiente preservado. De acordo com Pires, a UFU tem como prioridade esses objetivos estabelecidos pela ONU. “Desde a sua criação, a UFU é uma instituição comprometida com o desenvolvimento sustentável. Até pouco tempo atrás, esse comprometimento acontecia de forma difusa. Mas, de alguns anos pra cá, a UFU tem tentado estabelecer esse compromisso de uma forma mais institucional”, afirma.

Nesse contexto existem medidas concretas que têm sido tomadas pela universidade para alcançar a Agenda 2030. De acordo com Pires, de 2015 até 2017, as universidades brasileiras se dedicaram a conhecer e estudar o documento da ONU, e a elaborar propostas. Em 2018, a UFU criou o Comitê Gestor dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, e, desde então, esse cômite busca formas de institucionalizar os ODS. Além disso, a extensão na UFU exige que todo novo projeto, para ser aprovado, comprometa-se com, pelo menos, um ODS, e indique esse compromisso na submissão do trabalho.

Finalmente, um grande destaque das ações da UFU para colaborar com a Agenda 2030 no Brasil é a aprovação do Planejamento Institucional de Desenvolvimento e Expansão (PIDE) da universidade, com base no cumprimento dos ODS. “Esse é realmente um ponto de virada. Para o ciclo de 2022 a 2027, a gente inseriu no planejamento da universidade os ODS. Cada setor se compromete com um indicador e eles estão vinculados com pelo menos um ODS”, indica Pires. Ele destaca, ainda, que a partir dessa medida, será mais fácil avaliar, de fato, qual é o desempenho da UFU no trabalho para alcançar um desenvolvimento sustentável.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2022. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal