Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

12/11/2021 - 09:54 - Atualizado em 16/11/2021 - 09:33
Doutorando da UFU utiliza feromônios para controlar robôs
O projeto no campo da inteligência artificial foi elaborado durante mestrado e recebe premiação internacional
Por: 
Laura Justino

O robô chamado e-punk tem fins educacionais e é usado em experimentos no Laboratório de Computação Bio-inspirada, no Campus Santa Mônica. (Foto: Claudiney Tinoco)

Claudiney Tinoco, doutorando no Programa de Pós-Graduação em Computação, da Faculdade de Computação (Facom) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), desenvolveu, no mestrado, um método que utiliza feromônios, por meio da inteligência artificial, que são capazes de controlar as ações de um conjunto de robôs.

Os feromônios são substâncias químicas que transmitem informações, depositadas no ambiente por diferentes animais da mesma espécie. É através dessa matéria que as formigas constroem uma trilha e não se perdem, por exemplo.

Sob a orientação de Gina Maira Barbosa de Oliveira, professora da Facom, Tinoco acredita que é necessária a criação de um sistema capaz de controlar um grupo de robôs, que podem ajudar a sociedade. E ele encontrou a chave para isso com os feromônios.

“Robôs podem ser eficientes no resgate de vítimas em desastres, vigilância de estruturas internas ou externas e exploração de ambientes desconhecidos. Nesse ponto entra o meu trabalho de mestrado, no qual propusemos um método para virtualizar e controlar os feromônios”, afirma Tinoco.

O modelo se destaca por ser virtual e fácil de ser aplicado. Com isso, mostra-se acessível e inclusivo para diversos grupos de pesquisas que não possuem recursos suficientes para implementar outros tipos de técnicas.

Mapa do feromônio virtual, que pode controlar um conjunto de robôs. (Foto: Claudiney Tinoco)

 

Reconhecimento

 

A dissertação de Claudiney Tinoco, intitulada “Coordenação de times de robôs baseada em mapas descentralizados de feromônio repulsivo e regras locais de autômatos celulares”, conquistou o segundo lugar no “Postgraduate Theses Contest” (Concurso de Teses de Pós-Graduação, no português), que aconteceu on-line entre os dias 2 e 4 de novembro. 

“Estou muito feliz por receber esse prêmio!”, comemora Tinoco. A orientadora da dissertação afirma que o prêmio traz reconhecimento para o Laboratório de Computação Bio-inspirada (Facom/UFU): “estou muito contente e orgulhosa por esse prêmio conquistado pelo Claudiney. Acompanhar de perto o seu crescimento como aluno, cientista e cidadão, nos enche de orgulho e esse prêmio vem coroar um trabalho muito bem feito durante o seu mestrado".

O concurso, promovido pela Conferência Latino-americana de Inteligência Computacional, tem o objetivo de destacar trabalhos com contribuições significativas para a literatura nessa área e acontece a cada ano em um país latino-americano diferente. Além da contribuição teórica, o evento promove a integração e a cooperação entre jovens pesquisadores e incentiva pesquisas que tenham um importante impacto social.

Tinoco diz que essa conquista é importante para a universidade e para o Brasil, ao mostrar  que as pesquisas do país são relevantes para a ciência. A professora da Facom conclui: “são momentos como esse que nos enchem de satisfação por poder atuar na pesquisa e pós-graduação e ter a oportunidade de acompanhar alunos tão talentosos”.

A dissertação de Claudiney Tinoco foi defendida no Campus Santa Mônica e aprovada em 22 de janeiro de 2019. (Foto: arquivo do pesquisador)

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2022. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal