Pular para o conteúdo principal
Leia Cientistas

Informações gerais sobre os piolhos e a pediculose humana

O único alimento dos piolhos que infestam os humanos é o sangue

Publicado em 07/02/2024 às 13:46 - Atualizado em 09/02/2024 às 13:40

Além de coceira e irritação, os piolhos podem originar infecções secundárias causadas por fungos e bactérias (foto: Freepik)

 

Os piolhos de humanos são ectoparasitos, ou seja, parasitas que infestam a região externa do corpo das pessoas. O único alimento dos piolhos de humanos é o sangue, sendo denominados de hematófagos. Os piolhos apresentam metamorfose incompleta. Assim, no decorrer do desenvolvimento do ciclo biológico, apresentam as formas de ovos (lêndeas), ninfas e adultos (fêmea e macho). Os piolhos não possuem asas, sendo denominados de ápteros, apresentam duas antenas curtas e dois olhos pequenos. 

Os piolhos são insetos e, portanto possuem três pares de pernas, esses ectoparasitas pertencem ao filo Arthropoda, classe Insecta, ordem Phthiraptera, subordem Anoplura, e apenas duas famílias (Pediculidae e Phthiridae), têm como hospedeiro o ser humano. As espécies que infestam humanos são: Pediculus capitis, Pediculus humanus e Phthirus pubis, conhecidos de forma popular como: piolho da cabeça, piolho do corpo (muquirana) e chato, respectivamente.

A infestação por piolhos em humanos é chamada de pediculose. A transmissão da pediculose da cabeça ocorre de forma direta mediante o contato entre uma pessoa infestada e outra não infestada e, de forma indireta, a qual sua ocorrência é mais rara, pelo compartilhamento, por exemplo, de pentes, escovas, bonés, capacetes e acessórios de cabelos.

Os principais sintomas da pediculose são: coceira intensa no couro cabeludo, irritação no local afetado, infecções secundárias causadas por fungos e bactérias.

As principais medidas adotadas para o controle desta ectoparasitose são o controle natural e o controle químico. O primeiro ocorre mediante a catação manual diária das lêndeas, ninfas e piolhos adultos, penteação com uso de pente fino e o corte curto ou raspagem dos cabelos. A segunda forma de controle é a utilização de piolhicidas, os quais devem ser empregados também após orientação médica.  

O sucesso no controle da pediculose da cabeça pode ser obtido, principalmente, mediante realização de programas de prevenção e controle de forma contínua e integrada, com a efetiva participação de professores, estudantes, pais ou responsáveis e profissionais da área de saúde. 

 

Curiosidades sobre os piolhos:

 

Piolho pode viver fora do corpo das pessoas?

Sim. Segundo os pesquisadores, os piolhos podem sobreviver em média até 17 horas fora do corpo dos seus hospedeiros.  

 

Quanto tempo um piolho pode viver? 

Um piolho vive por volta de 30 a 40 dias.  

 

Piolho é um inseto? 

 Sim. O piolho possui 6 pernas, característica fundamental para serem    considerados como insetos. 

 

Piolho voa?

Não. Ao longo da evolução, esses insetos já tiveram asas, mas as asas foram reduzindo porque não eram usadas. Lembre-se que o piolho passa toda a sua vida no corpo das pessoas. 

 

Piolho pula? 

Não. O piolho da cabeça se locomove pelo couro cabeludo e fios de cabelo utilizando suas pernas. Eles não possuem pernas saltadoras como as pulgas. 

 

O piolho humano come caspa? 

Não. O único alimento dos piolhos (ninfas e adultos) é o sangue das pessoas.

 

Qualquer pessoa pode ter piolho?

Sim. O piolho pode viver no corpo de crianças, adultos e idosos.

 

Piolho gosta de cabelos sujos? 

A infestação por piolhos não está relacionada diretamente com a falta de higiene.  Nos cabelos limpos também é possível encontrar piolhos. 

 

O que podemos encontrar na saliva do piolho? 

Substâncias com ação anticoagulante e anestésica.

 

Há quanto tempo os piolhos infestam as pessoas?  

Os piolhos são antigos e já foram citados na Bíblia. No Brasil, segundo literatura específica, os piolhos estão por aqui há pelo menos 10 mil anos, antes mesmo dos colonizadores!

 

Qual a origem dos piolhos? 

Há várias explicações, uma delas é que possivelmente os piolhos vieram da África, devido aos processos migratórios. 

 

Como realizar o controle dos piolhos da cabeça?

É preciso seguir orientações médicas, principalmente para o controle químico, com o uso de piolhicidas. Há estudos que recomendam também formas de controle natural como a penteação diária com uso de pente fino e a catação manual dos piolhos. 

 

Dicas de leitura:

 

 

 

*Raquel Borges Moroni é docente do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal de Uberlândia (ICBIM/UFU).

 

A seção "Leia Cientistas" reúne textos de divulgação científica escritos por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). São produzidos por professores, técnicos e/ou estudantes de diferentes áreas do conhecimento. A publicação é feita pela Divisão de Divulgação Científica da Diretoria de Comunicação Social (Dirco/UFU), mas os textos são de responsabilidade do(s) autor(es) e não representam, necessariamente, a opinião da UFU e/ou da Dirco. Quer enviar seu texto? Acesse: www.comunica.ufu.br/divulgacao. Se você já enviou o seu texto, aguarde que ele deve ser publicado nos próximos dias.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

 

Palavras-chave: Piolho cabeça insetos informações saúde cabelo

A11y

Copyright© Universidade Federal Uberlândia.
Desenvolvido por Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação com o CMS de código aberto Drupal.