Skip to:

FacebookInstagramLinkedinTikTokTwitter YoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

20/01/2023 - 11:01 - Atualizado em 23/01/2023 - 14:45
O HC/UFU e o cuidado em saúde para travestis e transexuais
Qualificar a política de saúde integral para a população LGBTQI+ é fortalecer a promoção da equidade e defender o SUS
Por: 
Flavia do Bonsucesso Teixeira, Alex Barbosa Sobreira De Miranda, Camila Toffoli Ribeiro, Júnia Rodrigues Araújo, Lucio da Costa Girotto, Martha Naves de Oliveira, Taciana Carla Maia Feibelmann, Wanderson de Andrade Fagundes*

O Centro de Referência em Atenção Integral para Saúde Transespecífica (Craist), do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU) — também é conhecido como Ambulatório para as Travestis e Transexuais  —, foi criado em 2007. Desde o início, assumimos a responsabilidade de formar estudantes, profissionais e pesquisadores(as) para atuar em uma das estratégias de cuidado nomeada, em 2008, como Processo Transexualizador no Sistema Único de Saúde (SUS). Desde 2016, somos o único serviço credenciado pelo Ministério da Saúde para a oferta de serviços ambulatoriais em Minas Gerais.

Composição da Equipe, em 2009, quando o Programa Em Cima do Salto: saúde, educação e cidadania venceu a 5ª edição do Prêmio de Incentivo à Prevenção e Tratamento do HIV/AIDS, na categoria “Programa para jovens e adolescentes até 25 anos”. O prêmio foi concedido pela Sociedade Brasileira de Infectologia.

O HC/UFU é um hospital de ensino e possui como suas diretrizes o investimento para a produção de conhecimentos que sustentem uma prática alicerçada nos melhores padrões de evidências científicas e ao mesmo tempo possam aprimorar as Políticas Públicas que orientam nossa prática. Sendo assim, a pesquisa (em diferentes áreas do conhecimento) é uma atividade constante, com a presença de mestrandos/as, doutorandos/as, residentes e estudantes de iniciação científica, além das pesquisas desenvolvidas pela própria equipe.

A singularidade do nosso trabalho é sua raiz estabelecida como ação extensionista. O Craist é um desdobramento do Programa Em Cima do Salto: saúde, educação e cidadania (2006-2018), projeto de extensão que marcou o ingresso e a consolidação das discussões de diversidade de gênero e orientação na Universidade Federal de Uberlândia. A articulação entre os projetos Educando pelos Pares, Vidas nas Calçadas e Ambulatório para a Saúde de Travestis e Transexuais foi fundamental para que as ações do Craist fossem pensadas seguindo os princípios da educação popular em saúde e articuladas com o movimento social. O Craist carrega em sua história a relação entre ensino-pesquisa-extensão e assistência.

Diferentes ações do Programa Em Cima do Salto: saúde, educação e cidadania. (Fotos: Divulgação/Craist)

Nossa equipe foi se compondo ao longo dos anos. Muitos/as estudantes, docentes e técnicos/as emprestaram seus saberes para nossa caminhada. Uma certeza nos orienta: o serviço somos nós, que afetadas/os pela produção de um cuidado integral para as pessoas que se reconhecem e são reconhecidas como travestis e/ou transexuais temos que produzir um cuidado que se sustenta no direito ao autorreconhecimento, na autonomia e responsabilização compartilhada entre equipe e usuários/as.

Cientes de que as recusas, o despreparo, as precariedades e as violências perpetradas pelos serviços de saúde, em todos os níveis de atenção, constituem cicatrizes e tecido que estruturam as barreiras de acesso e a qualidade do cuidado para a população LGBTQI+ não somente aos procedimentos previstos no Processo Transexualizador, mas em todo o SUS, seguimos construindo e ensinando práticas de saúde fundamentadas em evidências científicas e orientadas pelos princípios dos direitos humanos. 

Testemunho desse compromisso, ainda em 2007, implantamos o nome social nos prontuários eletrônicos do HC/UFU que se tornou o primeiro hospital de ensino a inserir de modo sistemático e oficial o nome social em todos os registros dos/as usuários/as. Esta ação viria a inspirar o modelo que seria adotado pelo Ministério da Saúde para o Cartão SUS.

O Craist funciona toda sexta-feira, das 7h às 13h, no ambulatório de Ginecologia e Obstetrícia do HC/UFU com atendimentos clínicos agendados e acolhimento e suporte de livre demanda, ou seja, todo/a usuário/a pode se dirigir ao serviço no horário entre 7h30 e 11h que será acolhido/a e encontrará um/a profissional para orientar e realizar a escuta de sua demanda.

Equipe do Craist em janeiro de 2023. (Fotos: Divulgação/Craist)

A equipe é composta por profissionais da medicina (endocrinologia, ginecologia e psiquiatria), psicologia, saúde coletiva e serviço social. Atendemos usuários/as e suas famílias, incluindo crianças e adolescentes, que apresentem questões de desconforto ou sofrimento relacionadas a identidade de gênero.

No momento de reconstrução das políticas de saúde e, particularmente, das Política Nacional de Saúde Integral para a População LGBTQI+, o nosso serviço reafirma seu compromisso com o trabalho multiprofissional, orientado pelos princípios da equidade e participação social, cujas ações estão ancoradas na realidade e no contexto dos/as usuários/as e comprometido com superação das iniquidades em saúde.

 

*Os autores são integrantes do Craist. Flavia do Bonsucesso Teixeira (docente da Faculdade de Medicina/UFU e do Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família/UFU), Alex Barbosa Sobreira de Miranda (discente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia/UFU e integrante da equipe assistencial Ebserh/HC-UFU), Camila Toffoli Ribeiro (docente da Faculdade de Medicina/UFU), Júnia Rodrigues Araújo (bolsista de extensão), Lucio da Costa Girotto (docente da Faculdade de Medicina/UFU e discente do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/Unifesp)  Martha Naves de Oliveira (bolsista de extensão), Taciana Carla Maia Feibelmann (técnica administrativa em educação - HC/UFU) e Wanderson de Andrade Fagundes (técnico administrativo em educação - HC/UFU e discente do Programa de Pós-Graduação em Política Social/UnB).

 

A seção "Leia Cientistas" reúne textos de divulgação científica escritos por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). São produzidos por professores, técnicos e/ou estudantes de diferentes áreas do conhecimento. A publicação é feita pela Divisão de Divulgação Científica da Diretoria de Comunicação Social (Dirco/UFU), mas os textos são de responsabilidade do(s) autor(es) e não representam, necessariamente, a opinião da UFU e/ou da Dirco. Quer enviar seu texto? Acesse: www.comunica.ufu.br/divulgacao. Se você já enviou o seu texto, aguarde que ele deve ser publicado nos próximos dias.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2023. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal