Skip to:

FacebookInstagramLinkedinTikTokTwitter YoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

01/11/2022 - 11:08 - Atualizado em 04/11/2022 - 11:51
Quais são as características do Jornalismo de Jogos Eletrônicos?
TCC defende a popularização dos games no Brasil
Por: 
Laura Justino

O jornalismo de jogos eletrônicos está ancorado na internet. (Foto: Freepik)

Mesmo que você não tenha o hábito de jogar, provavelmente, você já teve algum contato com os jogos eletrônicos, seja no videogame, no computador, no celular ou até mesmo naquelas máquinas grandes de fliperama.

Os jogadores podem ter dificuldade em passar de determinadas fases ou missões. Para ajudar a concluir o objetivo, existem as críticas, as resenhas e os detonados, que podem ser encontrados em revistas, na internet e na televisão.

Ao longo da história da televisão brasileira, foram produzidos diversos programas que tratam de jogos eletrônicos. Um deles é o EI Games, que é transmitido, atualmente, nas madrugadas de terças e sextas-feiras, por meio do Twitch, Youtube e pela TV a cabo.

Em uma hora de duração, o programa informa aos telespectadores as notícias mais recentes do mundo gamer, faz gameplay (o apresentador joga em tempo real), e encerra com “password”, um quadro de charada no qual a produção revela as dicas e a audiência tenta descobrir qual é a resposta.

O EI Games é apresentado pelo jornalista Octávio Neto e por outros colegas da mesma profissão. Nota-se, em programas similares, a configuração do jornalista como apresentador.

Sendo assim, busquei, no meu trabalho de conclusão de curso (TCC), entender quais são as características que marcam a especialização de jogos eletrônicos no jornalismo.

Para isso, utilizei o método de análise de conteúdo proposto pela autora Laurence Bardin, em 1977. Resumindo, escolhi um episódio do programa para transcrever e analisar, de acordo com as categorias que organizei junto ao professor e orientador João Damásio, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia (Faced/UFU).

As categorias serviram de base para analisar a estrutura do programa, o enquadramento da câmera e os indícios de especialização que abordam a interação com o público e a linguagem verbal e não verbal utilizada.

 

Características

A análise destas categorias possibilitou entender que o enquadramento da câmera, à altura do pescoço, é o plano médio curto, no qual o apresentador é a figura principal da cena. Esse foco na câmera também é usado pelos streamers (pessoas que transmitem seu jogo ao vivo) que compõem a audiência do EI Games. Isso faz com que  o público se identifique com o programa.

Quem assiste também pode se sentir parte da produção do programa ao participar do quadro password, pois a pessoa que acerta tem o seu perfil do Twitter divulgado ao vivo ao final do episódio. Isso contribui para a interação entre a equipe e os telespectadores.

Também foi observado que o jornalismo de jogos eletrônicos permite o uso de camisetas e acessórios que tenham relação com a cultura gamer, deixando para trás a obrigatoriedade de usar roupas sociais, como ternos e casacos.

Nas notícias sobre eSports (competições profissionais de games), a abordagem se aproxima do jornalismo esportivo, caracterizado por informar os principais acontecimentos e o placar da partida.

Além das roupas, outra característica encontrada foi a linguagem. O apresentador faz o uso de expressões bastante utilizadas no ambiente de jogadores, e que, normalmente, são desconhecidas para pessoas que não jogam, como a palavra noob (quem não tem habilidade para jogar).

Em nenhum momento o jornalista explica o significado do termo, porque parte do pressuposto que o público é fluente. Por isso, é importante que o apresentador seja especializado em jogos eletrônicos. Não é qualquer profissional que consiga jogar, conversar com os telespectadores gamers e informá-los com credibilidade.

No Brasil, o GP Games da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) se preocupa em estudar sobre os processos comunicativos acerca dos jogos.

Tendo em vista que esta área não está consolidada igual o campo político ou esportivo, por exemplo, acredito que a cada estudo, assim como o TCC que desenvolvi nesta área, possibilita chegar mais perto de uma definição mais correta de jornalismo de jogos eletrônicos e contribuir para a popularização de uma área que cresce no país.

 

*Laura Justino é estudante do curso de graduação em Jornalismo e estagiária na Divisão de Divulgação Científica da Diretoria de Comunicação Social (Dirco) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

 

A seção "Leia Cientistas" reúne textos de divulgação científica escritos por pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). São produzidos por professores, técnicos e/ou estudantes de diferentes áreas do conhecimento. A publicação é feita pela Divisão de Divulgação Científica da Diretoria de Comunicação Social (Dirco/UFU), mas os textos são de responsabilidade do(s) autor(es) e não representam, necessariamente, a opinião da UFU e/ou da Dirco. Quer enviar seu texto? Acesse: www.comunica.ufu.br/divulgacao. Se você já enviou o seu texto, aguarde que ele deve ser publicado nos próximos dias.

 

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2023. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal