Pular para o conteúdo principal
#ESPECIALUFU45

45 fatos sobre ciência na UFU (parte 4)

'ESPECIALUFU45' continua com curiosidades e informações sobre as nossas pesquisas

Publicado em 04/09/2023 às 10:08 - Atualizado em 19/09/2023 às 17:28

Arte: Maria Clara Medeiros

 

Celebrar os 45 anos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) é, também, rememorar e enaltecer a ciência produzida na mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Para isso, preparamos uma lista de 45 fatos sobre pesquisadores, estudos, laboratórios, publicações; enfim, sobre a atuação da UFU na pesquisa científica e no desenvolvimento tecnológico em todas as grandes áreas do conhecimento. 


A lista está sendo divulgada em cinco partes, ao longo deste ano, no portal Comunica UFU e nos perfis oficiais nas redes sociais. A parte 1 foi publicada em maio, a parte 2 em junho, a parte 3 em julho e, abaixo, você confere a quarta parte.

 

28. Participações da UFU na SBPC

Abertura da 75ª Reunião Anual da SBPC traz representantes atrás de uma mesa em um palco
Abertura da 75ª Reunião Anual da SBPC, em Curitiba, em julho de 2023. (Foto: Marco Cavalcanti)

 

Durante seus 45 anos, a UFU vem integrando a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a SBPC, uma entidade que exerce um papel fundamental no fortalecimento e popularização da ciência no país.

Docentes, estudantes da graduação e da pós-graduação e técnicos administrativos da universidade participam de suas reuniões anuais por meio de palestras, apresentação de pôsteres, exposições e cobertura jornalística, por exemplo. O saudoso professor Warwick Kerr, que integrou o quadro de docentes da UFU a partir de 1988, presidiu a SBPC entre 1969 e 1973.

 

29. Credesh

Foto colorida da entrada do Credesh
A nova sede do Credesh foi inaugurada em 2018. (Foto: Milton Santos)

 

A UFU é uma importante peça no combate à hanseníase — doença infecto-contagiosa curável — e às dermatoses de interesse sanitário no Brasil, segundo país com mais casos de hanseníase no mundo. Os exames diagnósticos desenvolvidos na universidade foram pioneiros no país. 

Com uma nova sede inaugurada em 2018, o Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária e Hanseníase (Credesh), vinculado ao Hospital de Clínicas da UFU, há 24 anos vem desenvolvendo ensino, pesquisa, atendimento, controle e prevenção dessas doenças, além de reabilitação de pacientes.

 

30. Laboratórios

Colagem de fotos coloridas traz protótipos de bancos feitos em aulas
Neste ano, visitamos o Laboratório de Modelos e Protótipos (Lamop/UFU), onde alunos de Design desenvolveram protótipos de bancos. (Fotos: Arquivo pessoal)

 

O laboratório é um espaço dentro das universidades voltado para o estudo e o desenvolvimento de pesquisas. Neles, há materiais, ferramentas e equipamentos próprios da área estudada. Na UFU, há diversos laboratórios, abrangendo todas as áreas do conhecimento. Existem faculdades que constroem espaços específicos para uma vertente de estudos, por exemplo. Como é o caso do Laboratório de Escultura (Labesc), ligado ao curso de Artes Visuais do Instituto de Artes (Iarte).

 

31. Internacionalização da pesquisa

Foto colorida de um globo terrestre
UFU conta com o Programa Institucional de Internacionalização. (Foto: Marco Cavalcanti)

 

A UFU conta com o Programa Institucional de Internacionalização (UFU-CAPES.PrInt). O objetivo dele é contribuir para a internacionalização da universidade por meio ações que envolvem os Programas de Pós-Graduação (PPGs) alinhados com o Plano Institucional de Internacionalização (PrInt-UFU). Atualmente, 16 PPGs participam do programa, que se articula em dois grandes temas: 1) Dinâmica Social, Qualidade de Vida e Saúde; e 2) Tecnologias Convergentes e Recursos Ambientais.

 

32. Rede de Divulgadores da Ciência da UFU

Logo da Rede de Divulgadores da Ciência da UFU
Arte: Viviane Aiko

 

Pesquisadores, professores, técnicos, estudantes e outros interessados em divulgação científica podem participar da Rede de Divulgadores da Ciência da UFU. O objetivo da Rede é reunir integrantes da comunidade acadêmica que fazem divulgação científica (ou seja, que se comunicam com a sociedade sobre as pesquisas que desenvolvem na universidade, por exemplo, por meio de mídias, projetos em comunidades, eventos etc.), a fim de fortalecer as iniciativas existentes na UFU e abrir possibilidades de novos projetos e parcerias. A Rede foi lançada em 2021 pela Divisão de Divulgação Científica da Diretoria de Comunicação Social (Dirco/UFU) e pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propp/UFU). Entre as ações que já aconteceram, estão a divulgação de projetos nos canais oficiais de comunicação, a construção de uma identidade visual e o Curso de Formação de Divulgadores, cujas aulas continuam disponíveis no Canal da UFU no Youtube. Os interessados em participar da Rede podem enviar e-mail para comunicaciencia@dirco.ufu.br

 

33. Séries produzidas na editoria Comunica Ciência

Foto colorida traz a pesquisadora Aleska Trindade sorrindo. Imagem possui um filtro rosa com o nome da série: 'Mulheres e Meninas na Ciência'
Série 'Mulheres e Meninas na Ciência' apresenta Aleska Trindade, mulher PCD e pesquisadora sobre a temática em Uberlândia. (Foto: Marco Cavalcanti)

 

Temas e datas especiais sobre os quais precisamos nos aprofundar já foram abordados em séries de reportagens na editoria Comunica Ciência do portal Comunica UFU. Vamos relembrar algumas? Em 2017 fizemos uma série sobre as melhores iniciações científicas, ou seja, pesquisas desenvolvidas por estudantes de graduação. Há uma série contínua sobre os cientistas que recebem bolsas de produtividade em pesquisa. Entre o Dia das Mulheres e Meninas na Ciência e o Dia Internacional da Mulher, lançamos a série Mulheres e Meninas na Ciência e, para comemorar o 8 de julho, Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador, publicamos a série Cientistas da UFU. Confira mais séries em comunica.ufu.br/ciencia

 

34. Quiminas

Colagem traz um print de posts feitos pelo Quiminas no Instagram
Nas redes sociais as integrantes do projeto ressaltam o lema ‘Um projeto feito por mulheres para as meninas’. (Foto: Reprodução/Instagram Quiminas UFU)

 

O QuiMinas é um projeto de extensão ligado ao Instituto de Química (IQ/UFU) que surgiu com a proposta de ser composto apenas por mulheres (minas) e com o intuito de promover ações educativas que estimulem as meninas a se tornarem cientistas. Idealizado pelas professoras Amanda Danuello, Elaine Kikuti, Raquel Maria Ferreira de Sousa e Tayana Mazin Tsubone, do IQ/UFU, o projeto busca despertar o interesse das meninas do ensino fundamental para a carreira de cientistas. Nas redes sociais, elas disponibilizam indicações, curiosidades históricas e vídeos de cientistas mulheres contando sobre suas atividades de forma lúdica e acessível. Acompanhe nas plataformas do Instagram e YouTube.

 

35. Iniciações Científicas

Foto colorida mostra alunos apresentando seus trabalhos de Iniciação Científica
II Seminário de Pesquisa da UFU reuniu as Iniciações Científicas finalizadas em 2022. (Foto: Marco Cavalcanti)

 

A UFU tem programas de Iniciação Científica (IC) nos diferentes níveis de ensino: básico, médio, técnico e graduação. Como uma forma de estímulo, ela oferece bolsas de pesquisa em parceria com agências de fomento, como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além do Programa de Excelência em Pesquisa (PEP).

 

Em 2023, ela conta com 856 bolsas na graduação, 218 no ensino médio e básico, e 6 no ensino técnico. Além disso, é possível fazer Iniciação Científica de forma voluntária. Já são 85 ICs voluntárias registradas na Diretoria de Pesquisa (Dirpe). Os resultados das pesquisas são apresentados todos os anos no Seminário de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação, promovido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propp) A terceira edição acontecerá entre os dias 16 e 20 de outubro.

 

36. O café de Patos

Foto colorida mostra uma xícara de café vista por cima
Após a pesquisa e produção dos cafés, a ideia agora é a realização de eventos gratuitos, que levem os cafés especiais à população mineira. (Foto Freepik/Senivpetro)

 

Baseado no desenvolvimento de tecnologias em prol de melhorias no café, a produção de cafés especiais realizada no campus da Universidade Federal de Uberlândia de Patos de Minas busca levar a qualidade do fruto à xícara.  O grupo “Da Semente à xícara”, responsável pela execução do projeto desde 2019, é composto por pesquisadores da Engenharia de Alimentos, Biotecnologia, Engenharia de Telecomunicações entre outros e possui diversos trabalhos ocorrendo como Iniciações Científicas, TCCs, mestrados e doutorados. A equipe, que hoje conta atualmente com 40 profissionais, trabalha no processamento pós colheita a fim de intensificar os sabores e a doçura do fruto do café. E com o apoio da Fundação de Amparo á Pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig), o grupo iniciou neste mês mais um projeto relacionado aos cafés, agora focado na divulgação: o Vila Café. Para conhecer mais acesse @dasementeaxicara ou escute aqui


Continue acompanhando os nossos canais de comunicação para ver a próxima parte dos 45 fatos sobre ciência na UFU.


Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

 

A série "ESPECIALUFU45" reúne textos escritos por membros da equipe da Diretoria de Comunicação Social (Dirco), mas também está aberta à contribuição de outros integrantes da comunidade acadêmica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). As sugestões de temas a serem abordados, bem como o envio de materiais para avaliação e, em caso de aprovação, posterior publicação, podem ser realizados por meio do formulário eletrônico disponível em: www.comunica.ufu.br/divulgacao.

 

>>> Leia também:

Palavras-chave: #especialUFU45

A11y

Copyright© Universidade Federal Uberlândia.
Desenvolvido por Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação com o CMS de código aberto Drupal.